4 de jun de 2010

Linha 4 - amarela: de primeiro mundo


A linha 4 - amarela do metrô (que na verdade é operada pela ViaQuatro, e não pela empresa Metrô, embora seja uma linha de metrô - não sei se consegui ser claro) começou a ser construída há quase seis anos, no final de 2004. A princípio, estava prevista para ser inaugurada no ano de 2008. No entanto, alguns acidentes e imprevistos acabaram atrasando a obra. O acidente mais grave ocorreu no dia 12 de janeiro de 2007, quando uma parte da estação Pinheiros desabou. A cratera que se abriu engoliu parte de uma rua, carros, micro-ônibus, compremeteu a estrutura de algumas casas e ainda custou a vida de sete pessoas.


Mas, em 25 de maio de 2010, finalmente a inauguração, e nesta fria manhã de sexta resolvi atravessar a cidade para conferir.

Por enquanto, estão em operação apenas duas estações: a Paulista (que faz ligação com a estação Consolação, da linha 2 - verde) e a estação Faria Lima. A linha está funcionando apenas de segunda a sexta, das 9h às 15h (abriu durante este feriado de Corpus Christi, excepcionalmente), em fase de testes. Por isso, para andar na linha amarela ainda não é necessário pagar passagem. Entretanto, para voltar da linha amarela para a verde é necessário pagar os R$ 2,65.




Tanto na estação Paulista, quanto na Faria Lima, a linha de bloqueios (popularmente conhecida como catracas) conta com portas de vidros, que se abrem quando o usuário precisa passar. Nas plataformas, mais portas de vidro, que se abrem apenas quando o trem para na estação e abre suas portas. Isso evita que objetos ou mesmo pessoas caiam nos trilhos. Mas, até aqui, nada de novidades, pois já essas duas coisas já existem na estação Sacomã, da linha 2 - verde (inaugurada há alguns meses). As novidades estão no trem. O sistema é driverless, ou seja, os trens não possuem operadores. Desta forma, é possível ir para a parte de frente e observar os trilhos, o que é bom para saciar a vontade daqueles que sempre quiseram andar na cabine dos operadores de trem. Além disso, é possível passar de um carro (popularmente conhecido como vagão, mas o termo ''vagão'' é utilizado para cargas) para o outro com o trem em movimento. As únicas coisas que eu não gostei muito foram a largura do trem - muito mais estreito que os das demais linhas - e a disposição das barras que servem para os usuários segurarem durante a viagem.



Até o final do ano serão inauguradas as estações Pinheiros e Butantã. Em 2011, as estações Luz e República começarão a funcionar. Interligando as linhas 1, 2 e 3 do metrô e algumas de trem, a linha 4 cria novas possibilidades de trajeto, o que contribuirá para desafogar trechos superlotados do metrô, como a estação Sé, por exemplo. E até 2014 haverá a inauguração das estações Higienópolis-Mackenzie, Oscar Freire, Fradique Coutinho, São Paulo-Morumbi e Vila Sônia. Portanto, quando pronta, serão 11 estações e 12,8km de extensão.

3 comentários:

Vera disse...

NOSSA!!!!!!!! SEU BLOG É BÁRBARO, VOLTO AQUI COM MAIS CALMA!!!

Não sabia desta linha amarela do metrô... vou ler tudo depois... poxa, vou amar acompanhar seu blogg!!! ops, blog, blogg com 2 gs é o meu!!!


Beijos!!!!

Vera Rodrigues-Rath disse...

Fábio, desta vez eu li o artigo todo (e vou relê-lo)... nossa, que fantástica esta nova linha do metrô! E você narra tudo com um estilo próprio, que prende a atenção do leitor! Acho que jornalismo é a área acertada no seu caso!

Fiquei impressionada com o lance dos trens não terem condutores... como é isto? São totalmente operados por computador? Eu nunca vi isto aqui na Europa, OK, raramente pego trens e não uso o metrô de München...

Nos trens normais você passa de um vagão para o outro, aqui também é assim... mas ainda estou abismada com o detalhe do driverless, é isto???


ah, Fabio... meu blogg não tem sistema de avisos de postagens... ele é totalmente diferente dos blogs que conheço, não-alemães... portanto só indo lá e dando um alozinho mesmo... ahahahah... e antigamente existiam muito mais comentários do que posts... a turma era muito participativa!


Acredito no seu blog e vou colocar links em meus sites. A página inicial deles é o antigo Bits & Bytes: www.verinha.de


Abração,



Verinha Rath

Fábio disse...

Verinha, tudo bem?

Primeiramente, não tenho palavras para agradecer aos elogios feitos. Fico lisongeado.

Essa linha de metrô começou a ser construída em 2004, é a mesma que desabou em 2007 (a Estação Pinheiros, não sei se você chegou a acompanhar). E é driverless mesmo, uma das poucas no mundo que opera sem operadores de trem, apenas por computador (se eu não me engano, em uma das linhas mais novas do metrô de Paris também é assim, mas não tenho certeza).

Agradeço pela visita.