16 de out de 2011

Duas horinhas

Agosto, setembro e metade de outubro. Dois meses e meio se passaram desde meu último post no blog. Neste meio tempo tive várias ideias de post, mas nenhum texto escrito, embora alguns tenham até sido rascunhados. O motivo? O de sempre: a falta de tempo, é claro.

Aliás, desde o ano passado administrar o tempo tem sido complicado. O problema não é o desperdício de tempo, não. O problema é abrir a agenda, ver uns espacinhos livres e, sabe-se lá como, ocupá-los, sem nem se dar conta. Por causa disso, ano passado eu trabalhava o dia inteiro e aos sábados, e comecei a ter as raras enxaquecas que tenho. São raras, mas intensas: escurecem a vista, fazem as mãos ficarem geladas e formigarem, me impedem de pensar e soltar uma frase com nexo e fazer qualquer coisa. E o problema é que nem sempre dá pra deixar de cumprir compromissos. Em um dos dias de enxaqueca, por exemplo, tive que tomar quatro comprimidos para a dor amenizar e eu poder apresentar um seminário na faculdade.

E aí que chegou dezembro, tirei férias e, justamente por estas situações, prometi que em 2011 seria diferente. Ficou só na promessa. Entrou 2011 e comecei a trabalhar menos horas, mas muito mais longe, e as seis horas diárias de condução sugaram meu tempo ainda mais do que em 2010, algo que parecia impensável até então.

Felizmente, a situação mudou, porque recentemente comecei a trabalhar em casa quase todos os dias, o que me rende duas horas a mais de tempo livre. Não que duas horas tenham me feito ter todo o tempo do mundo (quem dera!), eliminado totalmente meu cansaço e coisas do tipo, mas me permitiram diminuir um pouco meu ritmo de vida e o estresse e o esgotamento do dia a dia. E percebi, mais do que nunca, o quanto a qualidade de vida é importante. O quanto é bom me estressar menos (ainda que eu seja calmo). O quanto é bom dar mais atenção à família. O quanto é bom ter... tempo! Tempo para dormir, tempo para fazer aquele álbum no Facebook que estou para fazer há meses (ok, isso ainda não fiz), tempo de diversificar a leitura, tempo de dormir mais umas horinhas, tempo de planejar com mais precisão o meu futuro, e, é claro, de postar no blog.

Bom, resumindo, este post é pra dizer que: primeiro, não tenho muitas metas de atualizações mensais do blog, mas peço desculpas pelo longo tempo de ausência. Pretendo atualizar com mais frequência a partir de agora. Segundo: fico muito agradecido pelos mais 4 mil cliques neste um ano e meio de blog. Não esperava tantas visitas e se tem uma coisa que jornalistas ou futuros jornalistas gostam é de serem lidos. Valeu mesmo! (Ah, e como estou na internet, conto com a vantagem que de meus textos não viram forro de gaiola de papagaio).  E terceiro: para convidá-los a ler o Celeste e Branco, o meu blog sobre Buenos Aires e sobre a Argentina. Pretendia ter começado este blog em fevereiro e cheguei até a escrever o post de boas-vindas na época, mas agora enfim poderei escrever sobre esta cidade encantadora, que tem ganhado o coração dos brasileiros e que, em breve (se tudo correr conforme o planejado), vai me ter como morador. Espero que gostem!

2 comentários:

Sheila disse...

Ah, Fábio, gosto de ler seus textos e suas aventuras pelos metrôs e outros transportes publicos ... mas fico feliz de saber que vc conseguiu melhorar sua qualidade de vida, isso é o mais importante , não é? Sei bem o qto isso é complicado em S. paulo ( não impossivel, mas dificil) Se vc trabalha agora em casa, siginifica que usará menos o transporte publico, né?? Muito bom, pena que as aventuras vão diminuir( pena pra mim, não pra vc, rsrsrsrs...)

Então coloca o link do blog sobre B. Aires, para podermos curtir com vc essa sua futura moradia.

Sucesso!!

Um abraço!!!!

Fábio De Nittis disse...

Oi, Sheila! Quanto tempo, que bom te ver por aqui.

Pois é, antes eu passava 6h, agora são só umas 2h15 (ida e volta da faculdade) por dia, bem melhor.

Mas ainda assim passo uns sufocos: sexta meu ônibus quebrou às 23h30 debaixo de chuva forte. E às segundas sigo indo para a empresa. Segunda o trânsito é muito complicado. Hoje, para completar, ainda estava chovendo. Resultado: levei 40 minutos num trajeto que levo 7 por causa do trânsito complicado no meu bairro, e ainda as duas linhas de metrô que pego (a vermelha e a amarela) estavam com problemas. Depois ainda teve trem e ônibus pra completar o trajeto, mas estes foram bem. De qualquer modo, o estresse continua, com a vantagem que agora é só uma vez por semana.

Ah, quanto ao blog da Argentina, o endereço é: http://celestebranco.blogspot.com