16 de jul de 2010

Na terra do tango: Bariloche (parte 2/3)


Vista aérea de Bariloche (foto de internet)

Ainda amanhecia no dia 13 de julho de 2008, por volta de 8h da manhã, quando pegamos o voo rumo a San Carlos de Bariloche. A pequena cidade de cerca de 130 mil habitantes está localizada na Patagônia Argentina, a cerca de 4 mil quilômetros de São Paulo! Chegamos por volta de 9h40 da manhã, sob uma temperatura de apenas três graus, apesar do sol. Ao sair do aeroporto, aquele ar gelado. Naquela tarde, o tempo fecharia e começaria a chover, mantendo-se assim por dias a frio.

No dia 14 fomos fazer o Circuito Chico, que é um passeio margeando o Lago Nahuel Huapi (esse da foto acima, o qual falarei mais para frente). A chuva caía com intensidade moderada e a temperatura estava ao redor de 2-3°C.


Neve no alto das montanhas, Lago Nahuel Huapi à direita e eu desaparecendo no meio da roupa

No dia 15 fomos andar de quadriciclo na lama, e também debaixo de chuva. Por precaução, resolvi deixar a câmera no hotel (lama na câmera não ia parecer uma boa). No dia 16, saímos, mais uma vez sob chuva, rumo ao Cerro Otto. Chegamos, ficamos na fila e enfim subimos de teleférico até o topo da montanha. À medida que o teleférico ia subindo, só chuva e nada da tão aguardada neve.

Chuva e mais chuva. E o teleférico subindo...


Era por volta de 16h30 quando descemos do teleférico, aguardamos um tempo, e quando a porta se abre... A NEVE ! Eu estava simplesmente diante do maior sonho da minha vida, que acabara de ser realizado. Não tinha e até hoje não tenho palavras para descrever aquele momento de ápice de felicidade. Nós só queríamos saber de aproveitar muito e fazer guerra de neve, coisa que criança em país tropical que não pode viajar só sonha, através dos filmes de Natal norte-americanos.
A primeira imagem da neve, inesquecível


Sonho realizado. E que frio nas costas!

No dia seguinte, acordamos por volta de 9h30, ainda terminava de amanhecer em Bariloche e NEVAVA! Agora eu via a neve caindo do céu, coloquei a roupa rapidamente e fui tirar fotos!


Do locutório na Calle Mitre em que eu ligava todas as tardes para o Brasil. E comia alfajores.


Vista do hotel e dá-lhe neve caindo!


Nos outros dias, o tempo abriu (e as noites se tornaram mais geladas, fez até 5 graus abaixo de zero) e fomos duas vezes ao Cerro Catedral. O principal centro de esqui da Argentina e mais completo da América Latina conta com mais de 120km de pistas e 39 meios de elevação e estava cheio em ambos os dias. As imagens são indescritíveis, especialmente as em que as árvores, sem aparecem cobertas por neve, dando uma tonalidade cinza. Só olhando mesmo para ter uma noção da beleza:


Cerro Catedral visto de longe


Lá em cima, e o povo tentando esquiar


Árvores cobertas por neve, paisagem de tirar o fôlego

Bom, e a todos os passeios em que íamos, o Lago Nahuel Huapi acompanhava a paisagem. O lago ocupa uma área de quase 550km² e chega a atingir, em alguns pontos, uma profundidade de 450m! Sempre muito lindo com suas águas cristalinas, especialmente nos dias ensolarados.


Lago Nahuel Huapi, visto do Cerro Otto, no fim de tarde


Em um dia ensolarado

Essa foi poucas horas depois que nevou na cidade. Ventava tanto, que frio só de lembrar!

Assim foram os sete dias em Bariloche. Passeios diurnos e baladas em algumas noites. Quando o tempo era livre, caminhávamos sem parar pela Calle Mitre, a principal rua de Bariloche, onde está o comércio e as deliciosas lojas de chocolate (lembro que sempre ía tomar chocolate quente, que maravilha). Daqui uns dias, a próxima e última parte dessas memórias celeste e brancas: as fotos tiradas dos aviões.

6 comentários:

Verinha disse...

Fábio, olá!!!

O sino da igreja na minha rua bateu 5 horas... hoje houve um temporal monstruoso, muito pior do que o que eu filmei. Tão terrível que desliguei tudo, e aqui não tem telefonia nem modem ou router ligados... ahahahahah.... mas eu tenho um stick de internet via USB... internet móvel, posso usar nas ruas, em qualquer lugar da Alemanha.


Bem, não respondi no blogg, estou dando primeiro um alozinho aqui... como estou um tanto cansada, e é um pouquinho tarde aqui (cinco da matina), eu voltarei, com certeza!!!


O pouco que já vi, assim, de relance, e na pequena tela do meu netbook (daqueles pequenininhos), eu amei!!! Amei pela emoção que vejo nas suas palavras e no seu rosto (aquela sua foto na neve).. e também pelas lembranças que tenho deste lugar!!!

Quanto ao frio, digamos que no inverno aqui não fique nada a dever... ahahahah (acredito ser mais frio, aqui chega a fazer menos dezoito graus por noites seguidas)... mas é bem parecido!

Eu volto com calma depois, quero comentar as fotos, os escritos e ir colocando o meu feeling. Estou digitando com dificuldades neste teclado de brinquedo (do netbook asus)... mas pelo jeito vou ter que usar de novo este mini-modem, pois amanhã estão previstas tempestades com trovões o dia todo!!!!

Não agüentava mais... bem... salvando aqui, antes de fazer uma besteira do teclado e perder tudo... eu volto depois! Nem no blogg.de eu comentei, mas li o que escreveu... vou ler de novo com calma hoje, depois de acordar!!!


Grande abraço e parabéns... a Argentina mostra também estar à frente dos demais países sul-americanos na recente aprovação do casamento gay (que existe em vários países da Europa, incluindo Alemanha).


Até hoje então... vou dormir com os modens e micro principal desligados... estou já ficando com sono ZZZZZZZZZZZZZZZZZ o dia começa a nascer...



Verinha, Don, 5h10min do sábado, GMT+1 - sommertime


ZZZZZZZZZZZZZZZZZZ I'l come back, wait for me!!! See U later!!!!

Sheila disse...

Muito lindo, um lugar com certeza a ser visitado um dia!!

Que fofinho seu retrato deitado na neve, gelaaaaaada, heim??

Lembro-me da primeira vez que vi neve aqui. Foi emocionante ,brincamos muito de jogar bolas e contruir bonequinhos.Na Holanda não é tão frequente cair neve, já tivemos alguns invernos sem ela. Mas nos últimos 3 anos parece que ela tem vindo com muito mais frequencia. Neste inverno passado reinou o caos, pois nevou muito .Os trens pararam, os carros deslisavam, as ruas ficaram escorregadias, muita gente caiu, quebrou perna ou se machucou.... Esse é o outro lado da neve, nem tão bonito e agradável.

Aliás, isso me lembra um texto muito engraçado que li um tempo atrás, chamado " diário de um brasileiro na Pensilvania". Procura no Google qdo der, só pra descontrair...

Um abração!!!

Fábio disse...

Verinha, que bom que choveu por aí, pelo menos refresca um pouco. Este verão tem sido mais quente que o normal ou é sempre assim mesmo?

Eu estava realmente muito feliz, a foto deitado na neve era uma coisa que sempre imaginava e nesse dia enfim pude tirar essa foto!!

Quanto ao frio, lá também é forte, mas sem dúvida que aí é bem mais gelado!

Aguardo seu retorno, então! Até!

Fábio disse...

Sheila, é lindo demais mesmo! E bem gelado, mesmo no inverno que fui, que foi meio ruim na questão de frio e neve por lá. Mas sair do pseudo-inverno paulistano e enfrentar aquelas baixas temperaturas é uma diferença e tanto.

Quanto aos escorregões, simplesmente inevitáveis. Reparei que a neve fofa escorrega, mas nem tanto. Mas onde tinha escada coberta por neve e a neve foi pisada várias vezes pelas pessoas, era tombo na certa, eu mesmo cai numa escadinha no Cerro Catedral, acho que foi o maior tombo da minha vida (ainda bem que ninguém viu hahahaha)

Na Europa foi este ano que chegou a dar problema nos trens de Londres a Paris, se não me engano, não é?

Fui atrás do texto indicado por você, muito engraçado hahahahaha

Um abraço pra você também!

Verinha disse...

Oi, Fábio!!!

Agora à noite refrescou bem, estou escrevendo do meu Balkon, mas desta vez com um pijama de mangas compridas... está fresquinho aqui.. e a vizinhança noctívaga pode me ver aqui escrevendo publicamente com meu netbook... ahahahahah


Fábio, a neve fofa não derruba ninguém... aquela neve fresca. O problema ocorre quando esta neve derrete e depois recongela... então forma-se uma camada de puro gelo debaixo do branco... e você cai mesmo! Há uns 2 anos fiz um video (está no youtube) onde meu tombo com a bike foi filmado!!!!


Tenho muitas fotos da neve perigosa, o chamado black ice, gelo negro, ou em alemão, Glatteis!


Como ainda tenho dificuldades de digitar no netbook, fico devendo os links, me cobre!!!


Bem, da noite de hoje não posso me queixar... o dia foi aquela droga com sol sem trégua, mas não tão quente... a noite está até gostosa... com um leve friozinho até!!! Nossa, erro demais neste teclado... as teclas "setinha" ficam perto do shift, e toda hora quase dano o post!!!


Beijos refrescados,



Verinha Rath 22h37 (o gmt você sabe... ahahahah .... economizando caracteres)

Fábio disse...

Olá, Verinha!!

Pena que seu blog está fora do ar, mas acho que amanhã volta e aí escrevo lá (salvei o que tinha escrito, depois colo lá, só alterando o horário).

Te procurei no flickr e vi o tal do black ice, não sabia o que era isso. Também vi seu vídeo no Youtube, quea gradável passeio de inverno, pena que com esse tombo imenso no fim hein!! E tava vendo o vídeo no seu voo São Paulo-Alemanha, a cara de tédio dos passageiros. Também, doze horas voando até eu cansaria!

Até mais!
Fábio (por aqui 22h10 agora)