21 de jul de 2010

Na terra do tango: Do avião (parte 3/3)



E nesta última parte, recordo as viagens de avião feitas no período da viagem. Foram quatro, eu gosto muito de andar de avião (certa vez li alguém que escreveu que ''barulho de avião é música para os meus ouvidos'' e me identifiquei), mas o momento pré-voo era muito cansativo. Três dos quatro voos foram logo no início da manhã, e como éramos dezenas de pessoas, tínhamos que sair ainda no começo da madrugada com as malas dos hotéis, entrar nos ônibus, pegar a mala no ônibus, esperar a abertura do check-in, fazer o check-in e esperar pelo voo (que às vezes atrasava, felizmente não mais do que 45 minutos). Depois de chegar ao destino, esperar as malas, ir pro ônibus, pegar as malas, subir para o hotel e por aí vai. Como gosto de aeroportos, não me importava muito, ainda mais porque em três dos quatro voos fui na janelinha (o único que não foi o São Paulo-Buenos Aires, portanto não há fotos desse voo) e pude apreciar as belas paisagens. Compartilho, a seguir, algumas das melhores fotos tiradas por mim pela janelinhas dos aviões da Aerolíneas Argentinas. Está fora da ordem cronológica propositalmente, porque resolvi deixar o melhor para o final.

Primeiramente, as fotos do voo realizado no dia 13 de julho de 2008, um domingo. Saímos de Buenos Aires ainda no amanhecer, por volta de 8h, e chegamos em Bariloche por volta das 9h40. As duas fotos abaixo são da chegada em Bariloche:



Um pouco de neve...


...e muita neve, ainda que distante


Agora, as fotos do voo em que voltei para o Brasil, no dia 21 de julho, há exatos dois anos. Saímos de Buenos Aires ainda de madrugada (7h15 da manhã, na realidade, mas por lá era noite completa a essa hora) e chegamos em São Paulo por volta das 9h35.



Pouco depois de sair de Buenos Aires, começou a amanhecer


Pouco depois do sol nascer, destaque para as nuvens o azul intenso do céu

E, para encerrar, o voo que rendeu as fotos mais bonitas. Na tarde do dia 20 de julho, saímos de Bariloche e fomos para Buenos Aires. Para mim, a última foto desse post (e também que encerra os três post sobre minhas lembranças da viagem) foi a mais bonita de todas.


Tapete de nuvens


Partindo de Bariloche, quanta neve!


Azul do céu e do lago, branco da neve. Cenário perfeito e presente divino.

5 comentários:

Verinha Rodrigues-Rath disse...

Oi, Fábio!


Muito bonitas as fotos! Eu também tirei algumas do gênero, uma delas era famosa no google, hoje não sei... eu nem te dei o endereço do meu site com as fotos de Buenos Aires e Bariloche, pois queria reformular totalmente as páginas... foram feitas há muitos anos, quando eu nem tinha câmara digital... e na época de minhas viagens então... tudo foi fotografado com câmara normal.


Bem, eu gostava de vôos antes de mudar pra Alemanha. Eu encaro vôos curtos, até umas 4 horas, sem problemas... embora exista o stress em aeroportos. Este stress você sente se tiver que fazer conexões... daí é barra! Qualquer hora explico melhor, ou a Sheilinha...

E dentro do avião, a umidade relativa do ar é baixíssima, uns 15 ou 20%... e depois de muitas horas você começa a sentir os efeitos.


Mas quando fui à Argentina, em 1985, e depois novamente, em 1992, eu não tinha ainda problemas com vôos!


Sobre o acesso ao meu blog, tente desligar os modens, router, linha telefônica... dar um tipo de reset... parece louco mas pode funcionar. Escrevi no teu facebook, beijos!


Estou atacada pela febre do feno, tive uma crise muito forte ontem.




Verinha

Sheila disse...

Entendo perfeitamente porque vc gosta de voar. Pois apesar de tudo, é uma sensação mágica ver o mundo de cima.Como se nós nos desligássemos de tudo que nos rodeia, como se nossos problemas ficassem láááááá embaixo.

Pena que depois de algumas horinhas, como escreveu Verinha, começa a "encher o saco"e vc não vê a hora de sair da aeronave e esticar as perninhas...

Adorei os retratos. Que espetáculo divino aquela neve toda, não é?

Espero que vc consiga resolver logo esse problema de acesso ao blog, mas que é esquisito , isso é, afinal eu e Verinha acessamos normalmente. Mistééééééerio!!

Hasta la vista!!!!

Fábio disse...

Boa tarde Sheila e Verinha!!

Não sabia que a umidade do ar era tão baixa dentro de aviões. Agora que vocês falaram, eu parei para pensar e lembrei que sempre fico sentindo sede durante a viagem hahaha

Bom, voos longos devem ser realmente cansativos, ainda mais se não estiver sentado na janelinha, ou se for de noite ou estiver sobrevoando oceano hhahaha Deve ser muito entediante. Eu nunca precisei fazer conexão, o máximo que fiz foi uma escala, ou seja, nem precisei sair do avião (num voo São Paulo-Marília, via Bauru, o primeiro da minha vida, em 2001).

E sobre as dores na perna, posso imaginar, porque todo fim de ano fico preso em engarrafamento de muitas horas para ir ao litoral.

Beijos e espero solucionar os problemas de acesso ao blogg. Lei de Murphy total, pessoal, tem certas coisas que só acontecem comigo mesmo hahaha

Verinha RAth disse...

Oi, Fábio!!!

Ainda sobre a baixa umidade do ar nos aviões, a solução é beber muita água... mas daí surge outro problema... necessidade de ir muito ao WC... coisa que não perturba numa viagem de até no máximo 4 horas, mas que é o inferno numa de 12 horas, quando as pessoas acordam de manhã precisando fazer outras coisas, entende??? São umas 300 pessoas pra uns 4 ou 5 banheiros... algo por aí... e todos acordando, entende... alguns com escovas de dentes... uma promiscuidade! ahahah


Só em business class é um pouco melhor (MUITO melhor), mas é caro.... $$$$$$$$$$$$


E durante a noite eles fecham as janelas do avião, Fábio... não é permitido abrir as janelinhas pois as pessoas dormem... nem mesmo a luz eles deixam você acender (pra ler)... um horror!


Bem, não estou relatando as turbulências... meu, quando você está no meio do oceano e parece que o avião cai muitos metros, e de dá um "vácuo" no estômago e tudo treme ao redor... não é fácil não! Já aconteceu comigo, na mesma rota do vôo da air france que desapareceu no Atlântico!!!!



Bem, a lei de Murphy é fatal... ahahahaha... mas de alguma forma você conseguiu driblá-la!!!!!


Beijos, e desculpe as bobagens, estou escrevendo numa madrugada de insônia (escrevi no blogg.de)!



Verinha RAth.

Fábio disse...

Verinha, só agora li seu comentário!

Nossa, sabe que nunca havia parado para pensar nisso? Acho que esqueci que as pessoas precisam ir ao banheiro quando o avião voa durante doze horas sem parar hahahaha

Achei um absurdo a história da janela e das luzes. Então quando eu for fazer vooa ssim, vou querer de dia. Ou que anoiteça no fim da viagem, se eu tiver que dormir no começo, não consigo, fico agitado dentro de avião, de felicidade hahaha Mas e se der vontade de ir ao banheiro no meio da madrugada, com tudo absolutamente apagado? hahahaha

Quanto a turbulência, já peguei e achei divertido, dá emoção ao voo. Mas tem um certo limite hahaha

Obrigado pela visita!